Por que vender cerveja artesanal é tão lucrativo?

Por que vender cerveja artesanal é tão lucrativo?

O Brasil é o terceiro maior mercado de cerveja do mundo, ficando atrás somente dos Estados Unidos e da China. Em 2019, apresentou a exorbitante quantia de 13,3 bilhões de litros vendidos [1], contando com o apoio de mais de 1.200 [5] cervejarias com fábrica própria. Esses dados refletem, de forma não tão surpreendente, que a cerveja é o tipo de bebida alcoólica mais consumida pelos brasileiros há pelo menos 20 anos, relacionando o fato de ela estar ligada com a identidade do brasileiro, assim como o próprio futebol [6]. Apesar de consolidado e muito poderoso, valendo aproximadamente R$ 80 bilhões [2], assim como outros setores, esse ramo precisa estar atento nas constantes mudanças relacionadas as novas exigências do mercado, considerando as novas características da indústria 4.0 e os novos gostos dos consumidores.

Considerando esse panorama, sabe-se que o consumo de cerveja mudou. Já não é mais o mesmo. Você consegue imaginar o motivo? Se sua resposta foi: por conta da busca por qualidade você acertou!

Em decorrência de existir um público sedento por novidades, atrelado com priorizar qualidade em detrimento de quantidade, as cervejarias artesanais derrubam os paradigmas de ser apenas uma “onda” passageira no mercado, apresentando um crescimento de mais de 20% ao ano no Brasil [3].

Mas afinal, o que é uma cerveja artesanal?

De acordo com o Ministério da Agricultara, Pecuária e Abastecimento (Mapa), não existe uma lei ao certo que defina o que é uma cerveja artesanal. Entretanto, a Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva) considera como artesanais aquelas cervejas com produção de até 5 milhões de litros por ano. Já para os consumidores, quando perguntados sobre quais fatores definem uma cerveja artesanal, 45% respondem “ingredientes de alta qualidade”, 43% mencionaram “sabores inovadores”, e 34% comentaram “métodos de fermentação tradicional” [4].

O X de toda questão é: apesar de grande parcela preferir cervejas mais leves, o paladar da população está cada vez mais refinado e em busca de novos sabores, estilos e texturas dentro desse segmento. Uma pesquisa feita pela Mintel mostra que 57% dos consumidores brasileiros preferem beber pequenas quantidades de cervejas mais caras, do que grandes quantidades de cervejas mais baratas, sendo esse comportamento mais evidente entre os consumidores de maior poder aquisitivo. Além do mais, outros motivos como o apoio à cultura cervejeira artesanal, influência de amigos, e a grande diversidade de rótulos, explicam essa busca por parte dos consumidores.

Certo, mas como eu posso lucrar com a venda de cervejas artesanais?

Essa resposta pode ser facilmente respondida com os seguintes tópicos:

  • Investir em sabores inovadores e exóticos;
  • Investir em embalagens menores e rótulos criativos para atrair as classes mais altas;
  • Atrair o público feminino (uma vez que não há diferença de preferência entre homens e mulheres em relação às marcas internacionais);
  • Saber que os consumidores têm favorecido produtos menos prejudiciais à saúde;
  • Investir em e-commerces.

Ainda em dúvida a respeito de cervejas especiais serem um bom negócio? De acordo com dados do Mapa, de 2008 a fevereiro de 2020 o número de cervejarias artesanais no Brasil saltou de 70 para 1.721. Juntas, elas faturam cerca de 2,4 bilhões de reais. E para os mineiros interessados em mergulhar nesse novo negócio, saiba que, segundo o Clube do Malte, maior e-commerce de cervejas especiais do Brasil, a região está entre os cinco estados que mais consomem cervejas especiais no País, atrás somente de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná.

E agora, está convicto de que é uma boa vender cervejas artesanais? O mercado de cervejas artesanais ou especiais mostra uma tendência de manter um crescimento bem maior em relação a outros setores de bens de consumo em geral, e algumas dessas considerações são bastante interessantes e merecem uma avaliação mais aprofundada de cada empresa de acordo com suas estratégias de crescimento para o futuro.

Para isso, a Inova Jr. oferece serviços que ajudam empresários de todo o Brasil que querem iniciar sua fabricação de cervejas artesanais, auxiliando em sua análise e produção sem deixar de lado as características desejadas pelo cliente. Além do mais, independente do isolamento social, a cerveja artesanal continua sendo uma ótima companhia para o brasileiro.

Referências

[1] Fonte: Sindicerv (Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja) – www.sindicerv.com.br/o-setor-em-numeros/

[2] Fonte: Cerv Brasil (Associação Brasileira da Indústria da Cerveja) – www.cervbrasil.org.br/novo_site/dados-do-setor/

[3] Fonte: Anuário da Cerveja 2020, página 17. www.cervbrasil.org.br/novo_site/wp-content/uploads/2021/04/anuariocerveja2.pdf

[4] Fonte: Mintel – brasil.mintel.com/imprensa/alimentos-e-bebidas/consumidor-brasileiro-de-cerveja-prefere-qualidade-a-quantidade

[5] Fonte: Anuário da Cerveja 2019, página 14. www.cervbrasil.org.br/novo_site/wp-content/uploads/2020/03/anuario-cerveja-WEB.pdf

[6] Fonte: INSTITUTO DA CERVEJA, 2017.

Deixe uma resposta